CDL GRAMADO

Confiança dos empresários melhora em dezembro

Os índices que medem a confiança dos empresários nos setores de comércio (Icom) e de serviços (ICS) tiveram alta no mês de dezembro, segundo os dados divulgados nesta quinta-feira (26) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). No comércio, a confiança subiu de 97,8 pontos para 98,1 pontos, e, nos serviços, a alta foi de 95 pontos para 96,1 pontos.

Na escala dos índices de confiança, o patamar dos 100 pontos é considerado neutro, e resultados abaixo desse valor indicam pessimismo, enquanto valores acima apontam avaliação otimista por parte dos empresários. Segundo o economista Rodolpho Tobler, que coordenou a sondagem do comércio e também participou da dos serviços, resultados entre 90 e 100 pontos indicam que a confiança está moderadamente baixa, e valores entre 100 e 110, que ela está moderadamente alta.

No caso do Icom, Tobler avaliou que a confiança no setor encerrou 2019 com uma acomodação próxima ao patamar dos 100 pontos, a partir do qual o cenário passa a ser considerado positivo. Na visão do pesquisador, os empresários estão cautelosos com a sustentabilidade da recuperação do setor, “que vai depender de uma melhora mais expressiva da confiança dos consumidores e do mercado de trabalho”.

O Índice de Situação Atual, em que os empresários do comércio avaliam o presente, teve uma alta de 0,9 ponto, chegando a 95,8 pontos, o maior patamar do ano de 2019. Por outro lado, o Índice de Expectativas do Comércio teve queda de 0,4 ponto, a terceira seguida. O índice continua acima dos 100 pontos, em 100,5 pontos.

Na avaliação sobre o setor de serviços, Tobler aponta que o ano de 2019 foi encerrado com trajetória de confiança ascendente. “A alta em dezembro foi influenciada principalmente pela melhora da percepção dos empresários sobre a situação atual, sugerindo que o volume de serviços deve ter um resultado favorável no último trimestre do ano e com empresários mais otimistas com a continuidade da recuperação gradual do setor nos primeiros meses de 2020”, disse.

A situação atual do setor de serviços é avaliada com 93,6 pontos, o maior valor desde junho de 2014. Em dezembro, houve alta de 1,8 ponto nessa percepção e, se somado todo o ano de 2019, o indicador subiu 5,1 pontos desde janeiro.

O índice que mede as expectativas dos empresários dos serviços teve um desempenho mais fraco, com alta de 0,4 ponto em dezembro. Apesar de ter chegado a 98,8 pontos no fim deste ano, o índice caiu 2,1 pontos em relação a 2018.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) de serviços teve um resultado negativo em dezembro, recuando 0,1 ponto percentual, para 81,6%.

Fonte:  Jornal do Comércio
Classificado como: