CDL GRAMADO

Mercado Livre terá centro de distribuição em Gravataí

A rota de investimentos do market place argentino Mercado Livre no Brasil irá incluir um novo Centro de Distribuição (CD) no Rio Grande do Sul, em Gravataí. A empresa vai operar em uma área de cerca de 50 mil metros quadrados, na Região Metropolitana de Porto Alegre, dentro do condomínio logístico da multinacional GLP, às margens da RS-118, onde hoje já estão instalados os CDs de Lojas Lebes, Ford, Yapp e Flexul. O local é o terceiro CD da companhia argentina no Brasil – os outros dois estão localizados em São Paulo, nos municípios de Louveira e Cajamar. O início da operação em Gravataí está previsto para o primeiro trimestre de 2020.

De acordo com o Mercado Livre, a unidade faz parte do plano de expansão da malha logística da empresa para reduzir cada vez mais o custo e o tempo de entrega dos produtos que são vendidos no portal mercadolivre.com.br. Ainda segundo a empresa, o novo Centro de Distribuição, assim como os outros dois existentes, atuará com o serviço de Fulfillment – modelo logístico em que o Mercado Livre que fica responsável por todo o processo de estoque dos vendedores e entrega dos produtos aos compradores.

De acordo com o secretário da Fazenda de Gravataí, Davi Keller Severgnini, o faturamento esperado pela empresa e declarado ao município é de R$ 450 milhões em cinco anos. Mas como a empresa ficará instalada em um condomínio logístico já existente, o investimento do Mercado Livre na cidade será basicamente dentro do pavilhão locado. “Não há um grande desembolso de implantação, mas sim investimentos em adequação de prateleiras e robôs”, afirma Severgnini

No projeto apresentado à prefeitura a empresa fala em 2 mil empregos, diretos e indiretos, o que, de acordo com Severgnini, não deve ser apenas a cidade, mas incluindo profissionais que atuarão nas entregas nos três estados do Sul. Para se instalar na cidade o Mercado Livre teve garantida a isenção de IPTU, já concedido a todo o condomínio da GLP, além de liberação de pagamentos de taxas de licenciamento e a cobrança da mínima alíquota possível de ISSQN permitido por lei, de 2%.

“Gravataí tem uma vantagem competitiva em termos de logística importante, o que certamente contribui para a escolha pela cidade, que conta com ligação, por exemplo, com a RS-118 e Freway, que se conecta a BR-101, indo até o centro do País”, destaca o secretário da Fazenda da cidade.

Em balanço publicado pelo Mercado Livre no dia 31 de outubro a empresa destacou o crescimento de 25% em um ano no número de consumidores brasileiros que estão usando o portal de compras, o que explica o investimento em mais um CD no País. Durante o terceiro trimestre desta ano o Mercado Livre diz ter alcançado um marco histórico importante em seu Volume Total de Pagamentos na Argentina e Brasil crescendo 63% e 52%, respectivamente.

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *